7º Tabelionato de Notas - Dr. Angelo Volpi Neto

Impensável

Impensável

Angelo Volpi Neto

Impensável, inconcebível, inimaginável, inacreditável, imponderável, quem diria? Faltam expressões para refletir nossa perplexidade diante da nova ordem mundial e o momento social, político e econômico que vivemos. Toque de recolher em Londres! USA com nota de crédito rebaixado! Revoltas populares nos países árabes!

Todos os parâmetros estabelecidos, da percepção da lógica dos fatos à previsibilidade dos rumos da humanidade, seja na economia, política ou nos negócios, tornaram-se meros exercícios de adivinhação. Não se imagina mais futurólogos como Alwin Toffler proferindo ondas precisas de previsibilidade. Aliás, é grande e irônica a lista das tentativas, mesmo pessoas notáveis como Bill Gates em 1981 - “640KB de memória devem ser suficientes para qualquer pessoa...” - cometem equívocos.

Ao que parece, o “efeito borboleta” teorizado por Edward Lorenz em 1963, que se refere às condições iniciais da teoria do caos, já não nos remete ao absurdo, mas sim a alguma explicação para os fatos inéditos e inimagináveis desta era. Na improvável equação dos milhares de acontecimentos, nas suas errantes trajetórias, nos mais imprevisíveis resultados, estaria aí  a explicação? A lógica está no caos?!

Para sobreviver a tudo isso é preciso muito mais do que uma visão de quebra de paradigmas, é preciso um desprendimento total de nossas idiossincrasias, dogmas e conceitos. Olhar sob outros ângulos significa também considerar aquelas hipóteses impensáveis, irresponsáveis, inconseqüentes e outrora inconcebíveis.

Quem exerce profissões conservadoras tais quais o escriba que vos provoca, cujas origens (da profissão) remontam ao início da civilização e até a passagens bíblicas,  lidando com o que de mais precioso há no patrimônio e na família, surta para sobreviver. Uniões homoafetivas, fertilizações in vitro, barriga de aluguel, novos negócios imobiliários mirabolantes, documento digital, crimes “virtuais”... adeus monotonia!

Acredito que o maior erro a cometer seja a rigidez no pensamento, que não nos permite repensar, reciclar e enxergar adiante, mesmo que pareça um delírio. Lutar contra a modernidade, imaginar que se está seguro, estável, é o primeiro passo para a queda. Time que está ganhando se mexe rápido, pois só fica na frente se mudar, o que não “se mexe”  já é engolido na próxima peleja...